Conhecida regionalmente pelas belezas naturais, a cidade de Trajano de Moraes, na Região Serrana do Rio, coleciona agora mais um atrativo: a geada. O sereno da noite e o frio intenso associados ao tempo seco têm deixado pastos e até arbustos com um cenário um tanto quanto diferente do normal: branco. E prova disso, é que nos últimos dias o município registrou na área central, temperaturas em torno de 8°C e 11°C graus.

Essa baixa nos termômetros tem atraído turistas, e despertado a curiosidade na população que mora no local e que param para registrar esse fato que acontece uma vez por ano. E quem acabou ganhando fama de local frio, foi a comunidade de Tirol e Alto Macabu – a área rural do município. E por conta dessas geada, e do branco que impera todas as manhãs nos pastos e gramas, o quarto distrito de Tapera, tem se tornado atrativo.

 

Além de Tirol e Alto Macabu, outros pontos também tem registrado baixa na temperatura, mas com menor intensidade como é o caso de Ponte Nova, Maria Mendonça, Ponte de Zinco, Gravatá, Arranchadouro e Vila da Grama. E ao que tudo indica a temporada de inverno deste ano em Trajano, está sendo, até agora, a mais fria dos últimos anos. “A gente torce para que Trajano fomente com isso um turismo e assim se consolide”, observou o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Claudio Roberto Silva Moraes de Souza.

 

Apesar de fazer sol durante o dia, o frio acaba fazendo com que os moradores tirem do guarda-roupa peças como gorros, cachecóis, botas e muitas blusas para aquecer. Com isso, ele tem também uma vantagem: atrair os caçadores de locais frios. E esse público chega de todos os lugares na esperança de ver a geada nas gramas. “Isso é muito bom, pois fomenta o turismo, que sempre vem acompanhado do fortalecimento da economia”, explicou o secretário.

 

O clima das montanhas permite ainda ao turista escolher entre relaxar ou aproveitar uma aventura. Do alto de Serra das Almas, por exemplo, é possível apreciar uma vista panorâmica das serras de Trajano de Moraes e apreciar os vôos de parapente. “As baixas temperaturas têm uma dupla função. Ela favorece o turismo e pode prejudica em parte a agricultura nestes locais”, observou Claudio.

 

Produtores de tomate, legumes e hortaliças sofreram perdas significativas devido ao frio intenso. “As geadas são as principais causadoras de danos em hortaliças e culturas mais frágeis, combinada com o vento elas chegam a queimar as folhagens das plantas. Já o tomate tem o amadurecimento atrasado devido ao frio”, ressaltou.

 

Na rede social, o professor Nilton César Riguetti comparou a localidade de Tirol com a Europa. “Esse é o nosso Tirom em Trajano de Moraes. No chão, o gelo. O frio que lembra a Europa. Assim também é o Alto Macabu. Visitas guiadas, com direito a passeio de cavalo, caminhadas e muitas cachoeiras, podem ser agendadas”, disponibilizou. Quem também registrou o momento com fotos na rede social, os locais de geada foi Erenilza Mafort e Cleice Frez Sandre.

 

SECOM – TRAJANO DE MORAES