Primeiro modelo elétrico realmente ‘popular’ pode mudar a corrida entre as montadoras para atender a demanda de veículos não poluentes na China.

Alguns países incentivam a compra de carro elétrico para reduzir emissões (Foto: REUTERS/Fabrizio Bensch)

A aliança Renault-Nissan anunciou planos para fabricar carros elétricos na China em uma parceria com a Dongfeng Motor, juntando-se à disputa para atender às rígidas cotas de Pequim para veículos não poluentes, segundo informou a agência Reuters.

A declaração não incluiu detalhes financeiros, nem sobre produtos. Entretanto, o presidente da aliança, Carlos Ghosn, já discutiu anteriormente planos para “mudar o jogo” com um carro elétrico de baixo custo, com preço em torno de US$ 8 mil (R$ 25,3 mil).

O valor é muito abaixo dos atuais elétricos “populares”, como Chevrolet Bolt, Tesla Model 3, Renault Zoe e Nissan Leaf, que custam mais de US$ 30 mil (R$ 95 mil).

O projeto, eGT New Energy Automotive, desenvolverá um mini utilitário esportivo elétrico para entrar em produção em 2019 pela Dongfeng, disse a aliança. A Dongfeng já montou veículos tradicionais com a Nissan e a Renault.

Este movimento “confirma nosso compromisso comum de desenvolver veículos elétricos competitivos para o mercado chinês”, disse Carlos Ghosn.

A China, maior mercado automotivo do mundo, quer que os carros híbridos ou totalmente elétricos representem ao menos 20% das vendas de veículos no país até 2025.

A aliança Renault-Nissan até o momento lidera a implantação de carros elétricos modernos, graças ao Nissan Leaf, lançado em 2010, e ao subcompacto Renault Zoe, lançado dois anos depois. Mas a liderança está sendo desafiada pela Tesla e outras rivais da indústria.

Fonte: https://g1.globo.com/carros/noticia/renault-nissan-deve-desenvolver-carro-eletrico-de-r-25-mil-na-china.ghtml