Rio de Janeiro, 06 de outubro de 2016 – O Porto do Açu é um dos empreendimentos que foi apresentado ao governo e empresários japoneses durante a 19ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, que aconteceu nos dias 4 e 5 de outubro, no Japão. No evento, José Magela Bernardes, presidente da Prumo Logística, empresa que desenvolve e opera o Porto do Açu, apresentou as principais características e diferenciais do empreendimento, além de mostrar as oportunidades de investimento para empresas japonesas.

“O Porto do Açu reúne todas as condições para receber investimentos de empresas japonesas. Temos área disponível, contamos com um Terminal Multicargas que pode receber grandes embarcações e possuímos localização estratégica para a indústria de O&G. O Japão é um dos principais parceiros estratégicos do Brasil, e tenho certeza que o Porto do Açu pode oferecer uma série de oportunidades de investimentos para empresas japonesas”, disse Magela.

Além disso, a criação de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no Porto do Açu irá possibilitar uma nova alternativa para empresas japonesas escoarem seus produtos para as Américas. Prevista para o início de 2017, a ZPE será uma área de livre comércio, destinada à instalação de empresas com 80% de sua produção voltada para a exportação. Na última semana, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, visitou o Porto do Açu junto com representantes do Conselho das Zonas de Processamento de Exportação (CZPE), que é o responsável por recomendar ao Presidente da República a criação de ZPEs no país.

Outro ponto destacado no evento foi que o Porto do Açu pode otimizar a logística das empresas mineiras, tanto para escoar a sua produção quanto para importação de insumos e recursos. Isso possibilita que as empresas japonesas instaladas no estado, tenham um porto dedicado para exportação. O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Olavo Machado Júnior, também participou do encontro no Japão e reforçou a importância do Porto do Açu para o estado. “O Açu é o porto de Minas Gerais”, disse.

A 19º reunião foi organizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Nippon Keidanren, a maior entidade empresarial japonesa. A participação brasileira, que foi liderada pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, contou com cerca de 50 empresários.

Para Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, “o Japão nos oferece oportunidades para ampliamos nossas exportações, acessarmos tecnologia e atrairmos capital para investimentos em infraestrutura”. Somente a agência japonesa JOIN (Japan Overseas Infrastructure Investment Corporation for Transport & Urban Development), possui orçamento de mais de US$ 80 bilhões para investimentos em infraestrutura em outros países.

O diretor comercial do Prumo, Fernando Schuffner, também participou do encontro.

Print Friendly