Essa semana, a morte de uma mulher, durante uma troca de tiros entre policiais e bandidos chocou o país. Foi no Rio de Janeiro e pelo que se apurou, os tiros que a mataram foram dados pela polícia, que negligenciou no socorro.
 
Esse fato causou um levante e críticas à instituição da Polícia Militar por todo o país. Alguns artistas, uma parte da mídia e muitos políticos – em regra aproveitando-se da situação que comoveu o brasileiro – passaram a jogar a população contra a PM.
 
Isso é inaceitável.
 
Discussões – necessárias – acerca da desmilitarização à parte, o certo é que não podemos estender o fato que aconteceu no Rio de Janeiro e culpar toda a instituição pelo infortúnio. A Polícia Militar é fundamental para o convívio social e zela pelo cumprimento da lei. A instituição é composta, na sua imensa maioria, por homens e mulheres honestos, que saem todos os dias de casa para o trabalho para cumprir uma vocação de nós proteger. A vocação da Polícia Militar não é matar. A vocação da corporação é proteger. Proteger você que lê esse texto agora. E muitos desses homens e mulheres morrem exercendo sua profissão, e quando isso acontece, os direitos humanos se calam, o estado se cala, artistas e intelectuais se calam. Ninguém sai em defesa da Polícia Militar, ninguém ampara essas famílias.
 
E mais: na maioria dos Estados, os governos não investem em treinamentos, em amparo psicológico profissional, em estrutura física, equipes compatíveis com a demanda e salários dignos.
 
A questão, portanto, está muito além de quem puxou o gatilho e matou a senhora citada. O policial que fez isso deve ser punido, claro. Mas o que nós precisamos é que a sociedade e o poder público se unam na defesa da instituição, da Polícia Militar para que ela seja bem equipada, treinada e fortalecida no combate ao crime, e não fragilizada. Só assim podemos começar a resolver o grave problema de segurança pública e evitarmos situações como a que aconteceu no Rio de Janeiro.
 
Daniele Barreto é advogada, consultora política, colunista e blogger. Escrev na página www.danielebarreto.com.br