Ontem, a restaurateur Dida, que comanda o Dida Bar e Restaurante, no Polo Gastronômico da Praça da Bandeira, estava em êxtase, não era para menos, realizou evento alusivo ao mês da consciência negra, recebeu pela primeira vez a chef baiana Angélica Moreira, que comanda o projeto “Etnogastronômico Ajeum da Diáspora”, (A chef é o maior sucesso em Salvador), no sábado e domingo para a edição de novembro, do Afro Dida.

“A minha cozinha é de resistência e por isso eu tenho convicção que precisamos nos irmana; estar sempre unidos em prol da valorização da nossa cultura”, atesta a chef convidada

.

 

O evento Afro Dida, que acontece sempre no 3° sábado de cada mês, tem o intuito de realizar uma grande invasão afro no Rio. O encontro, ineditamente aconteceu nos dias 19 e 20 de novembro.  A chef baiana apresentou quitutes surpreendentes como o Adocica, Bolsinha de Madagascar, Eram com Banana da Terra, Efó com Peixe, Cocada Preta, Adiê com Quiabo, Frango com Ginguba, Doce de Banana. Todos, delicias super aprovadas. As bebidas também fizeram sucesso, o ‘Fufu’, composta com aguardente, coco e gengibre, o ‘Dedeu’, uma batida fresca de tamarindo e o ‘Jajá’, feito com maracujá.

A sugestão da Dida, ficou a cargo do Caril de Camarões, com inspiração de Moçambique, foi outra grande pedida. A casa recebeu ainda o grupo ÀWÚRÉ, no sábado a noite, que lotou, embalados pelo som de diversas formas de samba, jongo, ijexá, entre outros.Foi uma festa.

“É ou não é para ficar prosa? Estou realizada com esse desafio, passar para meus clientes um nicho diferente de sabores”. Atesta a anfitriã Dida. Foi memorável essa edição.

 as-matriacas-dida-e-angelica-com-os-filhos img_0347 o-pequeno-lucas-xavier-rodeado-pelas-filhas-de-angelica-moreira-safira-e-inae

Rozangela Silva
Sócia Diretora
Bi & Ro Assessoria de Comunicação
Print Friendly